em Santa Cruz

Anúncios

José Silveira

Antigo baleeiro de Santa Cruz, durante a sua última visita ao Pico, num dia de verão de 2010, contou-me algumas das suas aventuras, foi com deslumbramento que o ouvi, e gostaria de voltar a ouvi-lo. Faleceu no passado fim de semana no Canada. fica aqui esta pequena mas sincera homenagem.

José Silveira Soares 1924 - 2011

Porto do Salão

Este porto, de difícil acesso tanto pela terra como pelo mar, abrigava quatro botes, e obrigava os baleeiros a grande perícia tanto ao fazer arriar os botes como para os varar. Contou-me o Sr. Luís Borges, antigo baleeiro da freguesia do Salão, que os botes eram sempre varados pela ordem inversa à qual seriam arriados da próxima saída à baleia, a falta de espaço a isso obrigava. Então os baleeiros, de uma forma democrática, faziam rodar essa ordem, de forma que não fossem sempre os mesmos os primeiros a arriar o bote. Contou-me o Sr. Luís que este esquema conduziu a algumas desventuras, pois para o segundo e seguintes botes saírem para o mar, o primeiro tinha de ser lançado para abrir caminho. Ora em dias de mau tempo, com o mar claramente a desaconselhar qualquer saída, o oficial do primeiro bote, picado pela competitividade, arriava a sua embarcação, para mais tarde não ouvir das outras companhas “eu não saí porque tu não saíste!”